Câmara de Viseu reforça protocolo com Cantinho dos Animais Abandonados

Cidade_de_ViseuPorto Canal

A Câmara de Viseu decidiu hoje reforçar o apoio ao Cantinho dos Animais Abandonados, que acolhe centenas de cães e de gatos, no âmbito de um protocolo no valor de 33 mil euros.

O presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques (PSD), elogiou o trabalho que a associação tem vindo a desenvolver, evitando que os animais abandonados sejam abatidos.

No tempo do seu antecessor, Fernando Ruas, a autarquia já dava um apoio financeiro ao funcionamento do Cantinho, que no ano passado foi de 28.500 euros. Continuar a ler

O Japão aceitou a proibição da caça à baleia imposta por tribunal da ONU

baleiaPúblico

O Japão declarou esta terça-feira que irá acatar a decisão do Tribunal Internacional de Justiça das Nações Unidas, em Haia, Holanda, que ontem decidiu impor ao governo japonês a interrupção do seu programa de caça à baleia na Antárctida. Mas segundo noticiou a  BBC online, as autoridades japonesas disseram estar “profundamente desiludidas com a decisão”.

O Tribunal Internacional de Justiça das Nações Unidas, o órgão máximo judicial da ONU, deliberou na segunda-feira que o programa de caça à baleia do Japão na Antárctida não se destina a objectivos científicos, uma deliberação vai contra as pretensões japonesas, que todos os anos caça mais de mil baleias ao abrigo do que diz serem fins científicos. A carne de baleia é apreciada naquele país. Continuar a ler

Noruega: Agricultor condenado a um ano de prisão por deixar morrer 400 porcos

porcosTVI

Um agricultor norueguês foi condenado esta sexta-feira a um ano de prisão por ter deixado morrer 400 porcos à fome e à sede, num raro caso de maus-tratos a animais na Noruega, noticiou a televisão pública NRK.

A sentença foi mais longe do que os sete meses de prisão pedidos pelo Ministério Público.

«É incompreensível aos olhos do tribunal que [o acusado] tivesse há muito tempo conhecimento [da condição dos animais] sem fazer nada para impedir uma tragédia animal», considerou o tribunal de Toensberg, no sul da Noruega.

«Tendo em conta o número de animais e o nível de sofrimento, o acontecimento é uma tragédia animal que felizmente ocorre raramente na Noruega», acrescentou no veredito, citado pela televisão e reproduzido pela agência France Presse.

Em fevereiro de 2013, as autoridades alimentares foram informadas de um possível caso de negligência, encontrando mais de 400 porcos mortos por falta de cuidados. Por estarem muito fracos, outros 60 tiveram de ser abatidos.

Durante o julgamento, o agricultor explicou ter ficado muito afetado pela doença de uma pessoa próxima e por problemas económicos. Consciente do destino dos animais, ele disse ter ficado paralisado e não ousou voltar a entrar na pocilga por recear encarar a realidade que o esperava.

O advogado tinha pedido a absolvição ou, em alternativa, a pena mais branda possível.

Continuar a ler

Petição: Fim ao abate no Canil Municipal de Rio Maior

cao gatoSubscrever

Exma. Sra. Presidente da Câmara Municipal de Rio Maior:

As condições destinadas aos animais errantes que são capturados e recolhidos pelo Canil Municipal de Rio Maior são totalmente opostas às medidas que deviam ser verdadeiramente tomadas para minorar, ou até mesmo extinguir, o flagelo que é o abandono dos animais.

Sendo seres sencientes, capazes de experimentar a dor e o medo, é intolerável a aprovação do abate e o devido financiamento para tal acção, quando os verdadeiros culpados permanecem livres de qualquer tipo de condenação. É fulcral criar e implementar uma medida que favoreça tanto os indivíduos humanos como os não-humanos: é do nosso conhecimento o risco que os animais errantes acarretam para a saúde pública; todavia, estamos contra esta alternativa que preocupa-se exclusivamente com os primeiros e retira o direito à vida dos segundos. Tendo em conta que a existência de animais abandonados, e a propagação de doenças causadas por essa situação, deve-se a indivíduos que decidem descartá-los e deixá-los sem rumo nas ruas, é necessário punir severamente os responsáveis pela sua conduta desrespeitosa. Continuar a ler

Petição: Proibição dos circos com animais em Rio Maior

circos sem animaisSubscrever

Exma. Sra. Presidente da Câmara Municipal de Rio Maior:

O ser senciente é todo o ser possuidor de características que permite-lhe a experiência da dor, tanto a nível físico como a nível psicológico, independentemente da espécie pertencente. Este atributo encontra-se exclusivamente nos membros do reino Animalia, o que inclui os animais não-humanos no presente factor exposto. Os animais do circo fazem, claramente, parte deste círculo senciente.

A artificialidade dos circos com animais começa quando a natureza genuína dos respectivos é suprimida forçadamente: animais selvagens, que não nasceram para aprender truques circenses como os humanos, confrontam-se num ambiente totalmente antitético ao seu habitat natural que retira-lhes a liberdade e, violentamente, a dignidade. Continuar a ler