Autarca de Darque indignado por freguesia receber tourada de Viana

DarquePorto Canal

O autarca de Darque, em Viana do Castelo, assumiu hoje “indignação” por aquela freguesia ter sido escolhida pela federação “Prótoiro” para a realização de uma tourada em agosto sem que a Junta fosse “tida nem achada”.

“A Junta de Freguesia não foi tida nem achada, ninguém nos disse nada e Darque não tem qualquer tradição de touradas. Ainda por cima, vão fazer a corrida num local como este, com uma estrada de acesso que é um cancro da nossa freguesia porque nem permite o cruzamento de duas viaturas”, afirmou à Lusa o presidente da Junta de Freguesia.

Joaquim Perre não esconde, por isso, a “indignação” com a situação, de que teve conhecimento pela Lusa, recordando que noutras circunstâncias a Junta é chamada a colaborar ou a dar opinião sobre a escolha de terrenos, embora sem qualquer poder vinculativo no licenciamento.

“Até quando chegam para montar o circo pedem o nosso apoio e opinião. Neste caso, não sabíamos de nada”, apontou o autarca de Darque, na margem esquerda da cidade de Viana do Castelo, e que promete levar o assunto à próxima reunião do executivo.

A federação “Prótoiro” apresentou na segunda-feira um pedido de licenciamento municipal para a instalação de uma arena amovível em Darque, na qual pretende retomar as touradas naquela cidade, a 18 de agosto, o domingo das tradicionais festas da Romaria d’Agonia.

O requerimento deu entrada nos serviços municipais daquela que, desde 2009, se assume como a primeira Câmara do país “antitouradas”, mas com a “Prótoiro” a afirmar que o processo “reúne todas as condições legais” para ser deferido.

“Este pedido para o licenciamento é apenas da instalação da praça [uma arena amovível para 3.300 pessoas], que é o único poder da Câmara, e que mesmo assim não é discricionário. Ou seja, se estiverem reunidas todas as condições legais, como é o caso, a Câmara não pode indeferir o pedido”, afirmou à Lusa o dirigente da “Prótoiro”, Diogo Monteiro.

“Vivo há mais de 50 anos em Darque e nunca vi uma tourada na freguesia. Mas pelo menos tínhamos direito a saber de alguma coisa, para planificarmos as nossas atividades. Basta ver que tínhamos de fazer uma obra urgente de saneamento naquele local, já que uma parte aluiu há pouco tempo, e agora não sabemos como vamos resolver isto”, insurgiu-se, por seu turno, Joaquim Perre.

“É uma falta de consideração pela Junta de Freguesia e pelo povo de Darque, que também tinha o direito de gozar as festas da cidade sem esta confusão na sua terra”, criticou ainda o autarca.

O presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, já classificou como uma “provocação” a realização desta corrida de touros no concelho, mantendo a intenção de impedir que se repita o que aconteceu em 2012, ano em que a corrida aconteceu mesmo, mas na freguesia de Areosa, também na cidade.

O pedido de instalação desta arena diz respeito a terrenos privados e, segundo Diogo Monteiro, previstos no Plano Diretor Municipal para construção, junto a uma área localmente conhecida como a “seca do bacalhau”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s