Falar em direitos, considerar os animais

blocoEsquerda

Por Sandra Almeida

Sim, falar em direitos, dignidade, qualidade de vida e progresso, é também falar em animais. É considerá-los. Pelo menos para o Bloco de Esquerda é assim. E por ser assim, as problemáticas relativas aos animais são contempladas nos programas eleitorais, fazem parte dos temas a tratar e a levar aos cidadãos nas sessões públicas organizadas, justificando também a criação de um grupo de trabalho que, na capital do país, atua para que aquilo que teoricamente concebe e defende, possa efetivamente ser posto em prática.

Podemos sempre perguntar: a crise que o país atravessa e as imensas dificuldades dos portugueses, dão margem para que um partido político atente às questões relacionadas com os animais? Não devem estar as pessoas em primeiro lugar? Não existem associações suficientes para que as respostas aos problemas dos animais se resolvam? É, de facto, tentador responder “sim”. Demasiado tentador, mas a realidade impõe-se particularmente dura e violenta para que a resposta seja tão imediata, tão simples, tão facilmente desligada daquela que é a complexidade da relação/unidade dos direitos, daquilo que caracteriza as sociedades evoluídas e onde a ética e os valores imperam. É, de facto, uma questão de civilização e de desenvolvimento que está em causa e que não pode, por isso, ser descurada. Continuar a ler

Faro controla núcleos de animais errantes

caoegatoRádio Horizonte Algarve

Numa colaboração entre a Câmara Municipal de Faro e a Associação Animais de Rua, está em marcha o primeiro projeto de esterilização, tratamento e estudo genético e comportamental de animais errantes no concelho de Faro. As ações preparatórias decorreram entre os dias 21 e 24 de Novembro para rastreio de toda a população animal localizada na Ilha de Faro – zona problemática no que diz respeito à existência de núcleos populacionais errantes, e que por isso será alvo da primeira campanha.

Nesta ação prévia, a Associação Animais de Rua fez mobilizar para o terreno oito técnicos especialistas que fotografaram e registaram 161 cães e gatos, criando assim as condições para que a campanha de esterilização e vacinação dos animais decorra naquela zona com maior organização, celeridade e método. Continuar a ler

Cordão humano contra os abates e pela esterilização e adoção de animais

canilEsquerda

Por Paula Sequeiros

Centenas de pessoas concentraram-se, neste domingo na praça do Município no Porto, para protestar contra o abate pelo canil municipal de animais capturados na rua, em vez de serem usadas a esterilização e a adoção responsável.

Um pouco depois das 16 horas havia algumas centenas de pessoas concentradas na Praça do Município no Porto, protestando contra o facto de o canil municipal usar os abates como solução para animais capturados na rua, em vez de medidas de esterilização e adoção responsável. Várias associações ligadas à causa animal marcaram presença. Continuar a ler

Animais tratados como lixo

87794711Sol

Maus tratos e abandono de animais de companhia são situações comuns com que veterinários e associações de defesa dos seus direitos se deparam no dia-a-dia. É um problema “grave”, cuja solução esperavam ver contemplada na proposta do Código do Animal de Companhia, apresentado à Ordem dos Médicos Veterinários (OMV) em Junho – a proposta que a ministra da Agricultura, Assunção Cristas, acabou por deixar cair na semana passada, após uma torrente de críticas à restrição aí prevista, de dois cães e quatro gatos por habitação.

A criminalização dos maus tratos e do abandono era, aliás, uma das questões “prioritárias” a serem resolvidas por uma nova legislação, defende a bastonária dos veterinários. Laurentina Pedroso esperava que o novo Código “melhorasse de facto as condições de bem-estar dos animais”. Mas os problemas e omissões da lei continuam por resolver, alertam a bastonária e activistas. Continuar a ler

Portugueses escolhem animais mais pequenos

cao gatoSol

Os portugueses tendem, cada vez mais, a optar por animais de menor porte, revela um estudo da GfK.

Segundo este estudo, metade dos lares portugueses possui pelo menos um animal de estimação, o que reflecte um aumento de 5 pontos percentuais face à última vaga, assistindo-se, no entanto, a uma alteração das características dos cães e gatos que os portugueses possuem. Cerca de 50% dos cães (versus 45 por cento em 2011) têm menos de 10Kg e 69% dos gatos (vs. 56% em 2011) têm menos de 4Kg. O que significa que o número de lares com cães e gatos aumentou, mas o tamanho dos animais diminuiu. Continuar a ler

Dieta rica em proteínas animais aumentaria risco de diabetes

carneAFP

Alimentos ricos em proteínas animais e, portanto, acidificantes, aumentariam sensivelmente o risco de diabetes tipo 2, a mais comum, revelou um estudo publicado esta terça-feira por cientistas do Inserm.

“Este é o primeiro estudo a estabelecer um vínculo entre a carga ácida da alimentação e um aumento significativo do risco de diabetes tipo 2”, comentou o doutor Guy Fagherazzi, um dos autores do estudo publicado na revista Diabetologia, da Associação Europeia de Estudo do Diabetes. Continuar a ler

Universidades britânicas mataram 1,3 milhão de animais em testes em 1 ano

cobaia ratoTerra

Universidades do Reino Unido causaram a morte de 1,3 milhão de animais no período de um ano em pesquisas médicas e veterinárias. Os dados foram revelados com base em uma lei britânica sobre liberdade de informação e divulgados em uma série de reportagens de jornais feitas por estudantes. As informações são do Daily Mail.

Entre os animais mortos estão quase um milhão de ratos, 124 macacos, 10 cachorros e seis emus (a maior ave nativa da Austrália), em testes realizados por instituições de ensino superior e centros de pesquisa. Universidades prestigiadas – como Oxford e Cambridge – estão entre as maiores responsáveis pelo sacrifício dos bichos, e a Universidade de Edimburgo figura no topo da lista, com 226,341 mortes. Continuar a ler