A reintrodução do lince ibérico pode começar por Mértola

lincePT Jornal

Por João Miguel Guerreiro

A população de coelhos bravos está a aumentar, o que faz disparar as hipóteses de sucesso de uma reintrodução do lince ibérico em Portugal. Mértola é a região com condições mais favoráveis. “Gostaríamos muito de libertar linces no outono”, adianta o secretário de Estado.

A reintrodução do lince ibérico em Portugal depende da evolução da população de coelhos bravos: são estes o principal alimento de um felino que, por enquanto, (sobre)vive apenas em centros de recuperação.

O aumento da população de coelhos, registado pelas autoridades, levou o secretário de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, Miguel de Castro Neto, a revelar que está em estudo a hipótese de libertar na natureza os linces ibéricos criados em cativeiro ainda este ano.

“Gostaríamos muito de libertar linces no outono”, admitiu o governante, citado pela agência Lusa.

“Neste momento, os dados que estamos a receber indicam que a população” de coelhos bravos “está a aumentar e previsivelmente a todo o tempo irá proceder-se à reintrodução do lince”, complementou.

As declarações foram proferidas à margem da assinatura do Pacto Nacional para a Conservação do Lince Ibérico em Portugal, um documento acordado na comissão executiva que acompanha a preservação da espécie, constituída pelo Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), por membros da academia, das organizações de sectores como caça e a agro-pecuária e organizações não-governamentais do ambiente.

O objectivo deste pacto é apelar a todos os portugueses, em especial aos que estão relacionados com a agricultura e a caça, para participarem na criação de condições de habitat para o regresso do lince ibérico, uma das espécies mais ameaçadas no mundo.

Miguel de Castro Neto salientou ainda que as zonas de Mértola, Moura-Barrancos e Serra da Malcata estão a ser trabalhadas para que, quando o lince ibérico for reintroduzido, as hipóteses de sucesso sejam as mais altas possíveis.

“Neste momento, as duas mais próximas da reintrodução são Moura-Barrancos e Mértola”, acrescentou ainda o secretário de Estado, evocando uma reunião da comissão técnica ibérica, realizada no final do ano passado, em que “foi decidido que a zona que reunia melhores condições para a reintrodução do lince em Portugal era Mértola”.

“Apesar de manter o esforço de melhoria do habitat e de monitorização das condições nas várias zonas, o investimento está a ser feito tendo em vista a reintrodução em Mértola”, frisou o governante.

Na mesma reunião foi apontado o mês de junho para proceder à libertação na natureza dos linces criados em cativeiro, mas o programa foi adiado para uma data a designar.

“Foi considerado mais importante garantir que a população de coelhos aumentava de uma forma sustentável e protelar um pouco a reintrodução” do que avançar “sem ter a certeza absoluta que as condições de habitat estavam garantidas”, explicou Miguel de Castro Neto.

3 thoughts on “A reintrodução do lince ibérico pode começar por Mértola

  1. Pingback: Projecto Lynx Reintrodução poderá começar em Mértola » Projecto Lynx

  2. Pingback: Projecto Lynx Reintroduction in Portugal may begin in Mértola » Projecto Lynx

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s