O Que Todos os Veganos Devem Saber Sobre a B12

vegan500Muda o Mundo

Uma ingestão muito baixa de vitamina B12 pode provocar anemia e danos no sistema nervoso.

As únicas fontes veganas fidedignas de vitamina B12 são os alimentos enriquecidos (incluindo alguns leites vegetais, alguns produtos de soja e alguns cereais de pequeno-almoço) e os suplementos de B12. A vitamina B12 (incluindo a B12 em alimentos enriquecidos, em suplementos e em alimentos de origem animal) tem origem em microorganismos.

A maioria dos veganos ingere uma quantidade de vitamina B12 suficiente para evitar anemia e danos no sistema nervoso, mas muitos não ingerem a quantidade suficiente para minimizar potenciais riscos de doenças cardiovasculares ou complicações durante a gravidez. Continuar a ler

Anúncios

Universidade de Oxford vota a favor de refeições veganas para ajudar a combater mudanças climáticas

Fonte: Flickr/LollyKnit

Fonte: Flickr/LollyKnit

ANDA

Por Marcela Sini do Prado

Academia de Wadham na Universidade de Oxford, Inglaterra, aprovou uma proposta de banir produtos à base de carne e servir apenas comida vegana durante cinco noites por semana dentro do campus. As informações são do site Blue & Green Tomorrow.

Fundada em 1610, a Wadham consiste em 150 licenciados e 450 bacharéis. Foi uma das primeiras faculdades a admitir mulheres e é conhecida por sua atitude progressista. A Oxford é composta por mais de 30 faculdades diferentes, contando com a União dos Alunos Wadham (SU) encontrando-se a cada duas semanas. Continuar a ler

Lisboa está a um passo de proibir circos com animais

circos sem animaisP3

Lisboa pode vir a juntar-se ao Funchal na lista de cidades portuguesas que proíbem o licenciamento e a instalação de circos com animais. A decisão está pendente da aprovação da câmara, uma vez que a Assembleia Municipal já debateu e aprovou a recomendação, apresentada pelo Grupo Municipal do PAN (Pessoas, Animais, Natureza).

“Circo sim, crueldade não — proibição de espectáculos circenses com animais” é o nome da recomendação, debatida e aprovada esta terça-feira, 25 de Novembro, com votos contra do CDS, do MPT, de um deputado do PSD e de outro independente. Três deputados abstiveram-se. Miguel Santos, do PAN, foi o responsável pela apresentação da recomendação. Continuar a ler

Marca de maionese vegana é favorecida por processo judicial movido pela Unilever

JustMayo-600x450ANDA

Conforme publicado recentemente pela ANDA , a multinacional Univeler processou a pequena empresa startup americana Hampton Creek por causa da maionese vegana produzida por ela, chamada Just Mayo.

Mas o resultado da ação tomada pela Unilever acabou tendo um efeito inesperado: funcionou como uma campanha da marketing a favor da Hampton Creek. As informações são do One Green Planet.

“Tem sido extraordinário como as pessoas reagiram a isso, incluindo o público, os comentaristas, os nossos parceiros de varejo e de food service”, disse Joshua Tetrick, CEO da Hampton Creek, ao One Green Planet. “Isso nos fez lembrar por que começamos esta empresa, em primeiro lugar. Nós sabíamos que a Hampton Creek faria barulho, e nós não devemos nos surpreender com as reações de alguns”. Continuar a ler

Nova provedora dos animais em Lisboa quer proteger sem olhar a espécies

Fonte: Flickr/starrynight1

Fonte: Flickr/starrynight1

Público

A nova provedora dos animais de Lisboa, Inês Sousa Real, assegurou nesta quarta-feira que pretende desenvolver a sua acção protegendo todos os animais que existem na cidade, independentemente da sua espécie.

“A minha missão, enquanto provedora, é proteger e salvaguardar os direitos dos animais e os seus interesses, considerando aqui todos os animais sencientes, que coabitam connosco na cidade de Lisboa”, afirmou a responsável à Lusa, no final da cerimónia de tomada de posse, que decorreu nos Paços do Concelho.

A também jurista disse que vai incluir na sua função, “não só o cão e o gato”, como também os animais utilizados para “espetáculos circenses, touradas, exposições de animais e venda”. “Temos uma diversidade muito grande de animais na cidade”, apontou Inês Sousa Real, referindo-se aos cavalos “usados quer nos circos, como nos coches e nas matas para limpeza” como para “entretenimento humano ou companhia” e, ainda, aos pássaros existentes na “fauna imensa nas matas e nos jardins” da cidade. Continuar a ler

Estudo: cães vêem donos como família e preferem-nos à própria espécie

caoActiva

Não é que a nossa intuição e convivência com o melhor amigo do Homem precise de estudos que o comprovem – afinal, já lá vão 30 mil anos de domesticação e basta olhar para o seu cão, quando chega a casa, para perceber que se há ser vivo que a ama, aquele é provavelmente um deles.

Mas alguns estudos científicos recentes vieram apresentar evidências muito interessantes sobre como funciona o cérebro canino, no que toca a processar a relação com os seus amigos bípedes,

Cientistas da Universidade de Emory, nos EUA, treinaram cães para se manterem quietos em máquinas de ressonância magnética, e usaram estes aparelhos para medir a resposta neurológica dos animais ao cheiro de humanos e de outros cães, ambos os grupos integrando indivíduos conhecidos e desconhecidos. O olfato é essencial na forma como os cães processam o mundo à sua volta, por isso, a equipa de investigadores partiu da premissa de que esse sentido teria algo a dizer-lhes sobre as formas de interação social canina. Continuar a ler

Milhares de animais em vias de extinção são vendidos online

biodiversidadeDN

Mais de metade dos anúncios online são para a venda de animais vivos, incluindo chitas, babuínos e pássaros raros, conclui investigação.

Milhares de espécies em vias de extinção são vendidas na Internet, vivas ou pelas suas partes do corpo, segundo um relatório da organização de conservação IFAW. A organização encontrou animais protegidos, como chitas, babuínos, sapos ou aves raras, à venda em páginas da Internet acessíveis por qualquer um.

O relatório demonstra os resultados de uma investigação que em apenas seis semanas identificou mais de 33 mil animais selvagens, ou as suas partes e produtos derivados, como é o caso do marfim, de dentes de leopardo das neves ou de tapetes de urso polar, a serem vendidos na Internet. Continuar a ler