Crianças que crescem com animais têm menos probabilidade de ter asma

Fonte: Flickr / Aaron Muderick

Fonte: Flickr / Aaron Muderick

TVI

Por Susana Laires

Se teme que o seu filho tenha problemas respiratórios, talvez seja boa ideia pensar em ter um cão. Esta é a conclusão de um estudo sueco, que afirma que as crianças que são expostas ao contacto com animais de estimação têm menos probabilidade de desenvolver asma.

De acordo com os resultados, que vêm contrariar várias pesquisas realizadas anteriormente, as crianças com um ano de idade que são expostas à presença de animais, têm um risco 13% inferior de desenvolver asma.

Isto porque os pelos dos animais são uma das causas mais comuns de alergia. Segundo a organização de alergias do Reino Unido, mais de metade das crianças asmáticas têm alergia a gatos e 40% a cães.

Esta pode ser uma informação importante para os portugueses, uma vez que cerca de 10% da população em Portugal tem asma, a maioria ainda em idade escolar. De acordo com a Fundação Portuguesa do Pulmão, cerca de metade dos bebés até dois anos tem, pelo menos, um ataque de dificuldade respiratória e 10 a 15% das crianças portuguesas tem asma.

Os cientistas acreditam que as crianças que crescem com estes animais são menos propensas a desenvolver asma, até aos sete anos, e que, se crescerem numa quinta com muitos animais, essa possibilidade decresce 50%.

Uma exposição prolongada pode assegurar resistência e maior tolerância a estes agentes, melhorando o sistema imunitário.

“Os nossos resultados confirmaram o efeito das quintas e também vimos que as crianças que cresceram com cães tinham menos 15% menos asma do que as que cresceram sem cães”, disse Tove Fall, responsável pela investigação, à BBC.

As conclusões do estudo são, no entanto, controversas. A comunidade científica pediu para serem angariadas mais provas.

Contudo, os autores do estudo ressalvam que os resultados só servem para ajudar quem ainda não tem asma.

“Estas são informações importantes para os pais que estão à espera de bebés ou que estão a planear ter um, para não se preocuparem em ter um cão, se quiserem. Mas se tiver uma criança que já tenha alergia, não devem ter um cão para curar a criança. Não vai resultar e, provavelmente, vai piorar a situação”, advertem.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s