Armani vai deixar de usar peles de animais nas suas coleções

chinchilaObservador

Giorgio Armani, designer de moda italiano, anunciou que vai deixar de usar peles verdadeiras nas suas próximas coleções. A decisão foi tomada na sequência da pressão feita por grupos de ativistas na defesa dos direitos dos animais ao longo dos anos.

O criador admitiu que o avanço das tecnologias faz com que o “uso de práticas cruéis para os animais seja desnecessário” e que a decisão espelha as preocupações do grupo em relação às “questões críticas de proteção do ambiente e dos animais”. As declarações foram transmitidas esta terça-feira em comunicado.

O grupo de luxo Armani inclui marcas como a Giorgio Armani, Emporio Armani, AJ Armani Jeans, Armani Prive e Armani Casa, uma linha de produtos de decoração. Todas estas marcas vão deixar de usar peles de animais já a partir da coleção outono/inverno 2016. Continuar a ler

Anúncios

Creche para cães é uma nova realidade em Portugal

caesNotícias ao Minuto

Fazem parte da família e por isso merecem todas as regalias. Se, em tempos, os animais de estimação eram olhados como apenas isso, hoje em dia são vistos como um elemento da família.

Foi a pensar nessa nova realidade que nasceu, há dois anos, uma creche para caninos. A Cãopreensão está sediada em Mem Martins, nos arredores de Lisboa, e tem cada vez mais adeptos.

Com lotação esgotada e até lista de espera, este ateliê ajuda os animais de quatro patas a passar o dia da melhor maneira, além de os acompanhar nas várias tarefas diárias. Continuar a ler

Petição pela abolição da garraiada e de todos os espectáculos com touros da Queima das Fitas de Coimbra

Garraiada_F_LPetição Pública

Atendendo a que:

1. a tauromaquia é uma aberração legislativa, uma vez que a lei portuguesa proíbe expressamente maltratar animais para fins recreativos, exceptuando os espectáculos tauromáquicos por se constituírem como tradição;

2. a universidade deveria ser o baluarte no questionamento de tradições e convenções, propondo caminhos alternativos aos que se conhecem e trilham, promovendo uma cultura de valores como a justiça, a solidariedade, o respeito e o civismo; não uma cultura que ritualiza e glorifica exercícios de domínio, de subjugação e de violência; Continuar a ler

Copo menstrual e animais: PAN quer ir mais longe

logopanTSF

Depois de ter conseguido colocar duas bandeiras no Orçamento de Estado o Partido Pessoas Animais Natureza (PAN) admitiu na TSF que quer ir mais longe no acesso do copo menstrual a todas as mulheres.

André Silva, deputado do Partido Pessoas Animais Natureza, quer aprofundar as conquistas em matéria orçamental. Ontem, o PAN conseguiu no debate orçamental a redução do IVA nos copos menstruais e a dedução do IVA gasto com veterinários, para animais de estimação. Continuar a ler

Movimento cívico critica apoio público a fórum taurino nos Açores

tourada dinheiroAçoriano Oriental

O Movimento Cívico Abolicionista da Tauromaquia nos Açores (MCATA) criticou o apoio do Governo Regional à realização de um fórum taurino, considerando que o evento é “vergonhoso para os Açores” e pode afetar o desenvolvimento turístico do arquipélago.

O MCATA considera o evento, que “tanto dano pode fazer ao desenvolvimento turístico da região, deve ser cancelado e o dinheiro público inicialmente destinado ao seu financiamento ser usado em políticas que beneficiem realmente e de forma urgente a sociedade, a economia e a cultura açorianas”, defendeu o movimento, num comunicado de imprensa. Continuar a ler

Cavaleiro tauromáquico condenado por investir contra manifestantes

Marcelo MendesNotícias de Aveiro

O tribunal de Estarreja deu como provado que o cavaleiro tauromáquico investiu o cavalo duas vezes contra o grupo presente junto a uma praça desmontável, na praia da Torreira.

As imagens do pânico de meia centena de ativistas, em setembro de 2012, ficaram gravadas pela televisão local Ribeirinhas (ver). Num segundo momento, o cavalo é visto a perseguir um manifestante. Continuar a ler

Todos pensavam tinha morrido. Apareceu cinco semanas depois numa ilha

ng6252078DN

É uma história de resistência esta protagonizada por Luna, uma cadela pastora alemã cruzada com husky que todos julgavam morta e que, cinco semanas depois de ter caído de um barco de pesca, deu sinais de vida. Agora, já está de novo em casa.

Luna caiu ao mar no dia 20 de fevereiro, quando seguia no barco do dono, Nick Haworth, junto à ilha de San Clemente, no Pacífico, na costa de San Diego e Los Angeles. A tripulação do barco procurou pela cadela mal deu pela falta dela e, não a encontrando, presumiu que tivesse caído ao mar. Continuar a ler