Este animal tem milhões de anos mas só foi descoberto agora

800TVI24

A Ilha Mussau é o ponto mais a norte da Papua-Nova Guiné. Não há muitos animais nem seres humanos que consigam sobreviver ali, incluindo os biólogos. É por isso que este lagarto-monitor povoa a ilha há pelo menos um milhão de anos sem que alguém tivesse dado por ele.

O Varanus semotus (foi assim que chamaram a esta nova espécie) pode atingir três metros de comprimento. Apresenta uma garganta predominantemente branca, tem um tronco preto com manchas amarelas e alaranjadas e uma língua amarela pálida, com características partilhadas por apenas mais três lagartos do Pacífico. Os adultos apresentam caudas que vão do azul-turquesa ao azul. É o principal predador desta ilha remota, alimentando-se principalmente de outros répteis, caranguejos, pequenos pássaros e ovos. 

Valter Weijola, o cientista da Universidade de Turku, na Finlândia, que descobriu o lagarto, apelidou-o de “esquisitice biogeográfica.” O lagarto esteve isolado das espécies mais próximas durante aproximadamente dois milhões de anos. De acordo com estudos genéticos realizados por dois coautores do estudo, esta espécie de lagartos pode preencher uma importante função ecológica, tornando-se de particular interesse a sua conservação.

Os cientistas ainda teorizam sobre como este lagarto, separado por mais de 160 km da espécie mais próxima à sua, foi parar às ilhas da Papua-Nova Guiné.

“Estas ilhas estão cheias de criaturas únicas, muitas vezes restritas na distribuição para apenas uma ilha ou grupo de ilhas”, disse Weijola. “No entanto, sabemos relativamente pouco sobre elas. Mesmo as grandes espécies de répteis e mamíferos são regularmente descobertos, para não mencionar anfíbios e invertebrados. Isto é o que torna esta região com um valor biológico tão elevado e muito fascinante”.

Varanus semotus foi encontrado nas áreas costeiras das ilhas de São Matias, mas os investigadores acreditam que também possam existir nas partes mais internas da floresta do arquipélago.

“Normalmente, estes lagartos-monitor comem qualquer coisa que consigam capturar e matar, como carcaças e ovos de tartarugas. Mas enquanto são jovens, estes lagartos são altamente impercetíveis e subsistem principalmente de insetos e outros pequenos animais.”

O Varanus semotus é um lagarto-monitor da mesma família de lagartos que incluem o famoso dragão de Komodo. Os detalhes sobre a nova espécie foi publicado por Valter Weijola, Stephen Donnellan e Christer Lindqvist na revista ZooKeys.

Até agora a nova espécie só foi encontrada em Mussau, uma ilha de 414 km2 no norte do Mar de Bismarck, e, de acordo com alguns dos moradores, os lagartos-monitor não se encontram em Emirau, a segunda maior ilha do arquipélago de São Matias.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s