Os ouriços são o novo animal da moda — e isso pode não ser uma boa notícia

ourico4P3

Nota de Redação: Nenhum animal deve ser enclausurado e em nenhum caso a compra de animais em lojas ou a captura de animais selvagens é aceitável, no entanto a notícia transmite ãlgumas informações úteis sobre um animal que, apesar de relativamente comum nos nossos campos, ainda é um desconhecido para a maioria da população.

Nas gaiolas azuis com mais de um metro de comprimento, duas etiquetas fazem as apresentações. Escondidos entre papel de jornal rasgado em tiras, Mateus e Daisy estão em processo de recuperação: foram recolhidos da rua, em mau estado, no início do mês de Abril. Mateus, o mais sociável, tinha 250 gramas e já tem 639, Daisy, envergonhada e menos dada a meiguices, pesava apenas 135 gramas mas já engordou até aos 651. Dali a dias, os dois ouriços europeus serão devolvidos à natureza — o lugar desta espécie de animais selvagens — e Clarisse Rodrigues, a fundadora da Amigos Picudos, associação para a preservação e protecção dos ouriços, terá mais dois casos de sucesso para juntar a uma lista com já mais de 60 em três anos. Continuar a ler

Antibióticos aumentam emissão de metano do esterco de animais

vacaUOL

Cientistas descobriram uma ameaça potencial para o clima da Terra, à espreita em um lugar escuro e malcheiroso: o esterco do gado tratado com antibióticos, segundo um estudo publicado nesta quarta-feira na revista britânica de biologia Proceedings of the Royal Society B.

Análises de laboratório revelaram que as fezes de animais que receberam um antibiótico comum emitiam mais que o dobro de metano, um gás do efeito estufa, do que as das vacas que não tinham sido tratadas com o remédio. Continuar a ler

Associação de Bioética propõe criação de Conselho Nacional de Experimentação Animal

cobaia ratoRTP

Nota de Redação: Uma proposta que visa legitimar a experimentação animal, em vez de erradicar esta prática cruel e desnecessária.

A Associação Portuguesa de Bioética apresenta hoje no parlamento uma proposta de lei para criar um Conselho Nacional de Experimentação Animal, que seja um regulador independente dos centros onde se realizam experiências com animais em Portugal.

O objetivo deste conselho será supervisionar e regular, de forma independente, a experimentação animal nos centros que pratiquem esse tipo de investigação.

O presidente da Associação de Bioética, Rui Nunes, lembra que já existem normas nacionais e comunitárias que regulam esta prática, mas afirma que “ninguém tem a certeza se são cabalmente cumpridas”.

“A meu ver é uma falha grave de supervisão”, declarou à agência Lusa o perito em bioética, que hoje entrega formalmente no parlamento a proposta de lei que estabelece a criação do Conselho Nacional de Experimentação Animal.

A proposta defende que o Conselho funcione junto da Assembleia da República, com total independência e isenção, sendo constituído por especialistas de diferentes ramos do conhecimento, ” de modo a que seja possível efetuar investigação em animais não apenas nos termos da lei, mas, sobretudo, de acordo com normas éticas universais de proteção do bem-estar animal”.

O Conselho teria ainda como missão, segundo a proposta de lei, a coordenação dos comités de ética das diferentes instituições de ensino e de investigação que utilizam animais com esta finalidade.

A Associação de Bioética propõe que o Conselho seja composto por 11 elementos, cinco deles eleitos pela Assembleia da República, dois nomeados pelos membros do Governo que tutelam a veterinária e a ciência e outras quatro pessoas designadas pela Ordem dos Médicos Veterinários, pela Ordem dos Médicos, pela Ordem dos Biólogos e pelos Conselhos de Reitores das Universidades Portuguesas.

Rui Nunes lembra que existem órgãos com funções similares, como o Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida, que regula a experimentação em embriões humanos, ou o Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida, que se pode também pronunciar sobre experimentação humana em geral.

O presidente da Associação de Bioética considera que a criação deste Conselho de Experimentação Animal seria um sinal de maturidade da sociedade portuguesa, num momento em que “cresce sustentadamente a noção de que os animais merecem uma proteção acrescida”.

Os dados disponíveis indicam que, na União Europeia, todos os anos há 11 milhões de animais submetidos a experimentação científica. Não há números da realidade portuguesa, mais uma falha que Rui Nunes acredita que um Conselho independente podia ajudar a colmatar.

O que aconteceria se as touradas acabassem em Portugal?

tourada invertidaP3

Por Ana Chaves

Há oito países no mundo onde as touradas são legais. Portugal é um deles. Quem defende a actividade tauromáquica não cogita sobre um hipotético ponto final. Citam-se razões como o fim do “património cultural do país”, o desemprego que se geraria e a extinção da raça taurina brava. Do outro lado, contra-atacam: “no Médio Oriente, a mutilação genital feminina também é cultura”, o desemprego é residual (há em média três trabalhadores por ganadaria) e a maioria não extrai rendimentos exclusivos desta actividade, e para quê preservar uma raça que terá como único fim o sofrimento? Continuar a ler

Nas Famílias de Acolhimento Temporário o amor pelos animais não tem limites

gatosP3

Por Mariana Correia Pinto

Os pulos de felicidade com a presença humana fazem parecer muito distante o cenário ali chegado há apenas quatro dias. A narrativa não é inédita para Luísa Rocha: em matéria de maus tratos a animais, já ouviu e testemunhou quase tudo. Ainda se espanta e revolta como nos primeiros dias mas, numa estratégia de auto-defesa, procura manter-se longe de pormenores. Há dias, quando aceitou acolher em casa cinco cães bebés a precisar de cuidados ao minuto, não pôde, no entanto, passar ao lado da história. Os cachorros recém-nascidos que entravam na casa dela naquele momento tinham sido fechados dentro de um saco de plástico preto e atirados de um carro em movimento. Vinham com patas e narizes “completamente estourados”. Um deles, “rebentado por dentro”, acabou por morrer passado 24 horas no colo da filha mais nova de Luísa. Os outros, recuperam aos poucos. Continuar a ler

PAN denúncia maus tratos a animais em corridas de galgos

logopanNotícias ao Minuto

O Partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) avançou esta quinta-feira com uma denúncia de crime público ao Ministério Público, devido à suspeita de graves maus tratos a animais envolvidos nas corridas de cães galgos.

Num comunicado enviado às redações, o partido salienta que esta é uma atividade de entretenimento humano que “representa um negócio altamente lucrativo que vive à custa da exploração da alta performance destes animais, pela exigência dos violentos treinos a que são sujeitos, com choques elétricos, administração de drogas estimulantes altamente prejudiciais para a sua saúde e um desgaste brutal”. Continuar a ler

“Pede-se a todos os passageiros que coloquem os seus animais a bordo”

5734fb07130000f00438178e-450x600Shifter

Por Mariana Dias

O brutal incêndio em Fort McMurray, no Canadá, que deflagra há mais de duas semanas, deixou centenas de milhares de pessoas desalojadas. Uma magnitude que pode ser vista do espaço face ao fumo que ainda se faz sentir.

Acontece que com as pessoas retiradas de casa vieram os seus animais… Cães, gatos, tartarugas e outros tantos seres vivos são parte da família e não foram deixados para trás, foram salvos por aqueles que os amam e estimam. Perante essa situação as companhias aéreas que participaram nas acções de evacuação – a Canadian North e WestJet – agiram do modo mais “ilegal” e bonito possível: animais e respectivos donos, juntos, nas cabines dos aviões. Continuar a ler