Calor: Os cuidados a ter com os animais de estimação

cao gatoNotícias ao Minuto

A pensar nos dias de calor que estão a chegar o Dr. Luís Montenegro, veterinário e diretor clínico do Hospital Veterinário Montenegro revelou ao Lifestyle ao Minuto os cuidados que os donos devem ter com os seus animais de estimação.

Sabia que os cães e os gatos não são nada tolerantes ao calor porque praticamente não transpiram? E que podem morrer de golpe de calor?

O Dr. Luís Montenegro, veterinário e diretor clínico do Hospital Veterinário Montenegro explicou ao Lifestyle ao Minuto que “de forma geral os cães e os gatos só transpiram nas almofadas plantares” e como não têm o nosso grande mecanismo de libertação de calor interno, a transpiração, é de “evitar a exposição excessiva ao sol”.

Entre os cuidados a ter nos dias de mais calor, o Dr. Luís Montenegro destaca que se deve “ter sempre água fresca disponível ao acesso dos animais para que estes se possam refrescar”, certificar-se de que, se o animal fica no exterior, tem “um espaço sombreado para que se possam recolher do calor” e o mais importante de tudo, alerta, é “nunca deixar um cão ou um gato no carro”.

Explica: “Mesmo que nos pareça que não vai estar calor, que o dia esteja nublado ou que seja por pouco tempo, é extremamente perigoso, pois se a temperatura subir demais, os animais vão fazer a chamada doença de golpe de calor que pode ser fatal”.

Sabia que os cães e os gatos não são nada tolerantes ao calor porque praticamente não transpiram? E que podem morrer de golpe de calor?

O Dr. Luís Montenegro, veterinário e diretor clínico do Hospital Veterinário Montenegro explicou ao Lifestyle ao Minuto que “de forma geral os cães e os gatos só transpiram nas almofadas plantares” e como não têm o nosso grande mecanismo de libertação de calor interno, a transpiração, é de “evitar a exposição excessiva ao sol”.

Entre os cuidados a ter nos dias de mais calor, o Dr. Luís Montenegro destaca que se deve “ter sempre água fresca disponível ao acesso dos animais para que estes se possam refrescar”, certificar-se de que, se o animal fica no exterior, tem “um espaço sombreado para que se possam recolher do calor” e o mais importante de tudo, alerta, é “nunca deixar um cão ou um gato no carro”.

Explica: “Mesmo que nos pareça que não vai estar calor, que o dia esteja nublado ou que seja por pouco tempo, é extremamente perigoso, pois se a temperatura subir demais, os animais vão fazer a chamada doença de golpe de calor que pode ser fatal”.

Se nos depararmos com um animal que já mostre alguns sinais de golpe de calor – em que o animal se vai mostrar bastante incomodado e com uma respiração muito ofegante – devemos imediatamente acalmá-lo e refrescá-lo com panos molhados em água fria e dar-lhe pequenas quantidades de água tépida para ajudar a diminuir a temperatura, aconselha o especialista.

Sabia que os cães e os gatos não são nada tolerantes ao calor porque praticamente não transpiram? E que podem morrer de golpe de calor?

PUB

O Dr. Luís Montenegro, veterinário e diretor clínico do Hospital Veterinário Montenegro explicou ao Lifestyle ao Minuto que “de forma geral os cães e os gatos só transpiram nas almofadas plantares” e como não têm o nosso grande mecanismo de libertação de calor interno, a transpiração, é de “evitar a exposição excessiva ao sol”.

Entre os cuidados a ter nos dias de mais calor, o Dr. Luís Montenegro destaca que se deve “ter sempre água fresca disponível ao acesso dos animais para que estes se possam refrescar”, certificar-se de que, se o animal fica no exterior, tem “um espaço sombreado para que se possam recolher do calor” e o mais importante de tudo, alerta, é “nunca deixar um cão ou um gato no carro”.

Explica: “Mesmo que nos pareça que não vai estar calor, que o dia esteja nublado ou que seja por pouco tempo, é extremamente perigoso, pois se a temperatura subir demais, os animais vão fazer a chamada doença de golpe de calor que pode ser fatal”.

Se nos depararmos com um animal que já mostre alguns sinais de golpe de calor – em que o animal se vai mostrar bastante incomodado e com uma respiração muito ofegante – devemos imediatamente acalmá-lo e refrescá-lo com panos molhados em água fria e dar-lhe pequenas quantidades de água tépida para ajudar a diminuir a temperatura, aconselha o especialista.

Esta é também a melhor altura para proteger os animais com desparasitantes externos para prevenir a manifestação de pulgas e carraças, que são transmissoras de doenças.

Quanto às idas aos jardins, é extremamente importante ter cuidado para que o animal não ingira plantas como as orquídeas, muito tóxicas para eles.

Já no caso das idas à praia, é de evitar a ingestão de areia e deve sempre passar o animal por água lisa depois de ele ter ido à água do mar.

Em altura de vindimas é ainda importante ainda relembrar que os cães não têm tolerância às uvas e podem desenvolver intoxicações que levam a insuficiências renais agudas severas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s