Tourada volta ao CDS pela mão da JP com apoio “apagado” da direcção

cdsPúblico

A velha tradição do CDS/PP de  organizar uma tourada está de volta ao partido, desta vez pela mão da Juventude Popular (JP), que, dia 24, em Coruche, organiza a sua primeira corrida de touros. Uma “corrida em defesa das tradições”, dizem os jovens centristas, mas na direcção do partido, que apoia a iniciativa, nem todos concordam ou mostram-se indiferentes à sua realização.

Poucos anos depois da sua fundação (1974), o CDS comemorava o seu aniversário com uma corrida de touros. No início dos anos 90, deixou de o fazer. Em 2010, o então secretário-geral, João Almeida, um aficionado das touradas, voltou a organizar uma corrida nas Caldas da Rainha que não teve grande êxito. A nova direcção da JP faz regressar as corridas de touros e a sua defesa “enquanto tradição” para a agenda do CDS.

Jorge Rosa, membro da JP e vogal da secção de tradição e cultura na comissão política nacional, é o organizador da primeira corrida da Juventude Popular. Fala com entusiasmo do evento, garante ter o apoio da direcção do partido “que aprovou” a realização do espectáculo, embora reconheça que “existam pessoas na direcção que, por não serem aficionados, não concordam” e que “possa haver alguma divisão na cúpula do CDS” em relação à realização do espectáculo.

“Tivemos o ‘ok’ [da direcção] um bocadinho apagado, mas deram o seu apoio à realização e divulgação da corrida”, afirma.

A posição oficial de Assunção Cristas e da direcção do partido, segundo a assessoria de imprensa, é “quem quer vai quem não quer não vai” e que “não há qualquer polémica” com a organização da tourada “que pertence à Juventude Popular”. “Há dirigentes nacionais que vão e outros não. Normal. O CDS também já teve corridas de touros, agora é a JP a ter uma”, foi ainda dito ao PÚBLICO.

Em relação à posição da presidente do partido, Jorge Rosa revela que Assunção Cristas “recusou associar o nome do CDS” à tourada de Coruche como propunha a JP, “mas não abriu o jogo” se era contra ou a favor. “Contra não foi, mas se é a favor não sei. Admito que existam pessoas mais favoráveis, mas não colocou quaisquer entraves. Talvez seja estratégia política”, diz o organizador do evento. Jorge Rosa repete porém, ter o “apoio da direcção do partido, das concelhias e das bases”, e cita Nuno Melo, João Almeida e Filipe Lobo D’Ávila como entusiastas da realização do evento.

O membro da jota acrescenta que, por outro lado, “há militantes que não são aficionados, que não concordam e que não estão a ajudar”, dando como exemplo Adolfo Mesquita Nunes. Contactado pelo PÚBLICO, Adolfo Mesquita Nunes diz não frequentar corridas de touros nem ser aficionado, mas não lhe causa “qualquer incómodo” que a JP “enquanto estrutura autónoma” realize a tourada.

Mesquita Nunes recorda que “autarquias do PS, BE, PCP e PSD também organizam corridas de touros”, mas não sendo um “proibicionista” não pede o seu fim. “Não frequento, mas não peço que sejam proibidas”, acrescenta, acreditando que a corrida da JP “não causa qualquer incomodo ao CDS”.

A JP garante que o evento não nasceu “para fazer política, ou para atrair militantes, mas sim “por razões mais nobres”. “Sendo CDS e a JP conservadores, cabe-lhes defender as tradições do país. A tourada é uma das nossas tradições mais bonitas e passa a vida a ser atacada pelos partidos de esquerda no parlamento e mais recentemente pelo PAN [Partido dos Animais e da Natureza] que usam as suas vozes raivosas contra a festa brava. O CDS é único partido que defende esta tradição da cultura portuguesa porque é a memória de um povo que mantém vida a identidade de um país”, diz Jorge Rosa.

Movimentos antitouradas criticam

Questionado pelo PÚBLICO sobre a realização desta corrida de touros, André Silva, deputado do PAN, recusou comentar em concreto a tourada da JP. Salientou o trabalho que o partido tem feito pelo fim das corridas de touros e assegurou que, na próxima sessão legislativa, “continuará a trazer medidas que alertem os cidadãos para a realidade desta indústria em Portugal, principalmente para a questão dos financiamentos públicos e benefícios injustificados atribuídos”.

Já Sérgio Caetano, da Basta, associação contra a realização das corridas de touros, diz não estar surpreendido com a realização do evento da JP, “uma vez que o CDS é o único partido que defende as touradas”. “O CDS insiste em seguir o caminho contrário ao da civilidade, mas não é surpreendente.

Já o Prótouro, movimento que também luta contra as touradas, deixou no seu site na Internet, em meados de Agosto, uma mensagem dura para o CDS: “A organização desta aberração conta, como não podia deixar de ser, com o apoio do partido (CDS-PP), o que não admira, já que no partido do táxi são todos aficionados e os poucos deputados eleitos, como todos nós sabemos, defendem sempre com unhas e dentes a trampa da tauromaquia.”

Gostar ou não dos touros

Críticas que não surpreendem a JP. “São pessoas que não gostam de touros. Aqueles que os criam, os que os lidam e pegam e os que assistem, esses sim gostam de touros”, diz Jorge Rosa.

Aconselha mesmo os membros dos movimentos e dos partidos antitouradas a lerem o veterinário Joaquim Grave “para perceberem as diferenças entre dor e sofrimento e entre humilhação e adrenalina que o animal sente durante a lide”.

Diz ainda que quem defende o fim das touradas “não percebe que, se elas acabarem acaba, também o touro de lide”. “É o fim da raça, se as touradas acabarem, acaba a raça. É isso que querem?”, pergunta.

O dia tauromático da JP começa às 10h30 do dia 24 com uma “novilhada popular” e prossegue às 17h com a corrida na Praça de Touros do Sorraia, em Coruche. Os bilhetes estão à venda na sede nacional do partido, em Lisboa, e nas estruturas locais do CDS.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s