Queima do gato. Dona do animal condenada a multa de 450 euros

queima-do-gatoDN

A dona do animal usado na “queima do gato”, em Mourão, Vila Flor, foi hoje condenada ao pagamento de uma multa de 450 euros.

O Tribunal entendeu condenar Rosa Santos, de 64 anos, a uma pena de multa de 90 dias, a cinco euros por dia, o que perfaz 450 euros. O juiz que leu a sentença, no tribunal de Vila Flor, esclareceu que a multa pode ser paga ou substituída por trabalho a favor da comunidade. Continuar a ler

Anúncios

Espanha: defensora dos animais é julgada por matar 2000 cães e gatos

gatos ruaSapo

A presidente de uma associação de defesa dos animais do sul da Espanha pode ser condenada a até quatro anos de prisão, sendo acusada de matar, com um cúmplice, mais de 2000 cães e gatos, afirmou uma fonte judicial na terça-feira.

O abrigo de animais funcionava também como salão de beleza, hotel e clínica privada para animais, mas a presidente não tinha diploma de veterinária, segundo a acusação.

Após a investigação, o promotor concluiu que a responsável e um funcionário encarregado da manutenção do local “sacrificaram e entregaram para cremação” 2.183 animais entre janeiro de 2009 e outubro de 2010. Os dois injetavam um produto eutanásico nos animais, mas em doses menores do que as recomendadas, “com o objetivo de poupar gastos”, e sem os sedar previamente, provocando “uma lenta e dolorosa agonia”, disse o promotor. Continuar a ler

Castelo Branco: BE propõe criação do provedor do animal

blocoReconquista

O Bloco de Esquerda de Castelo Branco vai propor na Assembleia Municipal de Castelo Branco a criação da figura do provedor do animal no concelho, à semelhança do que já acontece em Lisboa. O provedor é uma figura independente e autónoma, embora ligada ao município, que promove a defesa e proteção dos animais.

A proposta foi apresentada esta semana por Luis Barroso e é acompanhada de outras questões que o deputado municipal do BE gostaria de ver esclarecidas. Continuar a ler

Circo sem animais em Rio Tinto

circos sem animaisJN

A Junta de Rio Tinto, em Gondomar, aprovou uma proposta contra a presença de animais nos circos que realizem espetáculos na freguesia. A decisão foi tomada na reunião do executivo de terça-feira.

Além de se assumir como “entidade contra a utilização de animais nos espetáculos de circo”, a Junta de Freguesia também deliberou pela “não emissão de pareceres favoráveis às instalações de circos no território da freguesia que incluam espetáculos ou exibições de animais”.

Em paralelo, o executivo deliberou recomendar à Câmara de Gondomar que “não sejam emitidas licenças a espetáculos circenses que incluam a exibição ou utilização de animais”, uma medida que a Junta pretende ver estendida a todo o município.

Vegetarianos querem notas de cinco libras sem gordura animal

5-librasPúblico

No início de Setembro, o Banco de Inglaterra colocou em circulação novas notas de polímero, um material mais resistente e duradouro do que o que é usado nas notas convencionais. As novas notas de cinco libras são ainda mais pequenas e apresentam-se como mais difíceis de falsificar. No entanto, há um pormenor que está a gerar uma onda de contestação: nos seus componentes, as novas notas utilizam gordura animal.

A confirmação foi dada pela porta-voz do Banco de Inglaterra, através do Twitter, em resposta às perguntas colocadas por vários utilizadores que queriam ver os rumores esclarecidos. Continuar a ler