Tubarão-da-gronelândia: o animal vertebrado mais velho do mundo tem 392 anos

Greenland SharkObservador

Jeanne Louise Calment viveu 122 anos e 164 dias. Até hoje, ninguém viveu tanto como esta francesa nascida em 1875. Mas este número parece uma brincadeira, quando comparado com os 392 anos vividos por um tubarão-da-gronelândia, o animal vertebrado mais velho domundo, que vive em águas entre os -1 e os 5ºC. Continuar a ler

Anúncios

Dos animais feios, nem os cientistas gostam

morcegaloDN

Há os animais bons, há os maus e, depois, há… os feios. E, destes, parece que nem os cientistas gostam, porque quase não há estudos sobre eles.

A conclusão é de dois biólogos australianos que passaram em revista mais de 14 mil estudos sobre 331 espécies de mamíferos do seu país e descobriram que existe uma enorme desproporção no número de estudos científicos sobre as espécies fofinhas, como os coalas ou os cangurus, em comparação com outras criaturas menos bafejadas pela beleza, como os morcegos e os roedores que são quase metade (45%) das espécies de mamíferos nativas da Austrália. Continuar a ler

A baleia mais rara do mundo deu à costa e foi vista pela primeira vez

Público

Ao fim de quase um século e meio em que os seus vestígios se limitavam a alguns ossos – uma mandíbula encontrada em 1872 e dois crânios em 1950 e 1986 –, dois exemplares da espécie de baleia mais misteriosa deram à costa. E que baleia é esta? É a baleia-bicuda da espécie Mesoplodon traversii.

Ainda não foram divulgadas imagens dos dois exemplares, uma baleia adulta, com 5,3 metros de comprimento, e a sua cria, um macho de 3,5 metros. Ao início, quando os encontraram numa praia da Nova Zelândia em Dezembro de 2010, foram identificados erradamente como Mesoplodon grayi, uma espécie bastante mais comum de baleias, pelos técnicos do Departamento de Conservação da Nova Zelândia, através de medições e fotografias. Os técnicos recolheram ainda tecidos e só aí, depois de o ADN das amostras ter sido submetido a análises, ficou revelado que os dois exemplares completos que ficaram presos na praia de Opape pertenciam à espécie Mesoplodon traversii. Continuar a ler

Árvore da vida em formato digital

Da Redação

Uma equipa de cientistas britânicos e norte-americanos criou uma árvore da vida digital, em que é possível visualizar as relações evolucionárias entre milhares de espécies. O objetivo do projeto OneZoom é criar uma árvore da vida com todas as espécies conhecidas no mundo.

O projeto, publicado na PLOS Biology, permite continuar o trabalho de Darwin e mostrar a origem das várias espécies num formato que permite uma pesquisa fácil numa base de dados com um grande volume de informação.

A árvore da vida digital permite ver as espécies agrupadas numa árvore cujo tronco representa a origem da vida na terra e cujos ramos representam a diversidade da vida. Selecionando uma espécie é possível saber há quanto tempo apareceu na terra, qual o risco de extinção, quantos exemplares existem e outras informações.

Correntemente, o OneZoom permite apenas consultar as espécies de mamíferos mas será atualizado continuamente com nova informação.