O mundo a caminho de perder dois terços dos animais selvagens até 2020

biodiversidadeOeco

De acordo com o mais recente relatório do Living Planet Index, do WWF, o número de animais selvagens que vivem na Terra deverá cair em dois terços até 2020, se nada for feito para reduzir o impacto das ações humanas. A análise do relatório indica que as populações de animais caíram 58% entre 1970 a 2012, com perdas em vias de alcançar 67% em 2020. Os pesquisadores do WWF e do Zoological Society of London elaboraram o relatório a partir de dados científicos e descobriram que a destruição de habitats, a caça e a poluição foram os culpados por tamanho declínio. Continuar a ler

Panda gigante já não está em vias de extinção

pandaTVI

O panda gigante já não faz parte das expécies em vias de extinção, anunciou a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN). Durante cerca de 26 anos, o panda gigante esteve em risco de desaparecer, mas graças a um programa de conservação do governo chinês, o estado da espécie foi, este fim de semana, elevado de “ameaçado” (alto risco de extinção na natureza) para “vulnerável”.

Como escreve o The Independent, o programa do governo da China focou-se em restaurar os habitats do animal, de forma a garantir mais alimento e boas condições de sobrevivência. Continuar a ler

Em Julho, 45 animais selvagens vão ser devolvidos à natureza

corujaPúblico

As corujas-do-mato fazem frequentemente ninhos em edifícios abandonados. Depois, quando o proprietário faz obras e recupera a casa quer o ninho fora dali. As formas de o fazer vão desde a destruição do ninho à entrega do animal ao CERVAS (Centro de Ecologia, Recuperação e Vigilância de Animais Selvagens) de Gouveia. “O importante é falar com as pessoas e explicar-lhe o que fazer, porque se não houver abordagem é muito complicado”, refere Ricardo Brandão, coordenador e veterinário do centro e um dos responsáveis pela devolução de uma dessas corujas à natureza, na passada sexta-feira, na Escola Superior Agrária de Coimbra. Continuar a ler

Já são 22 os linces ibéricos livres em Portugal

lince ibericoDN

Com a nova ninhada de quatro o número de linces ibéricos livres subiu para 22. Desde 2014 foram libertados 19 animais na natureza, no Parque Natural do Vale do Guadiana, mas dois morreram

A segunda ninhada de lince ibérico detetada no Alentejo é de quatro crias, e não três como inicialmente pensado, subindo para 22 o número de exemplares da espécie a viverem na natureza em Portugal, foi hoje anunciado. Continuar a ler

Tráfico de animais fatura 27 mil milhões de euros por ano

elefanteObservador

O tráfico ilegal de flora e fauna selvagem no mundo movimenta 27 mil milhões de euros anualmente, só superado pelo comércio clandestino de armas e drogas, disse este sábado um responsável do Fundo Mundial para a Natureza (WWF).

Em declarações à agência Efe, o responsável das espécies ameaçadas do WWF, Luis Suárez, explicou que a luta contra esta atividade ilícita é o tema do Dia Mundial do Meio Ambiente que se comemora no domingo. Continuar a ler

Zimbabué vai vender animais selvagens para enfrentar seca

leao leoesTSF

O governo do Zimbabué anunciou hoje que vai vender parte da sua fauna selvagem para obter receitas a dedicar à conservação, numa tentativa de enfrentar a seca provocada pelo El Niño, que ameaça quer as pessoas quer os animais.

A intenção da Autoridade de Gestão dos Parques Nacionais do Zimbabué é convidar os potenciais clientes a apresentarem propostas para a compra de animais selvagens, cujas espécies ainda não foram indicadas, uma decisão criticada por várias organizações ambientalistas.

O diretor da Força Especial para a Conservação do Zimbabué (ZCTF, na sigla em inglês), o ativista de origem portuguesa Johnny Rodrigues, considerou tratar-se de um movimento para espoliar os recursos do país. Continuar a ler

Populações de lince na Península Ibérica já ultrapassam os 400 animais

lince ibericoPúblico

A Junta Regional da Andaluzia anunciou nesta segunda-feira que o último censo efectuado no início de 2016 às populações do lince ibérico (Lynx pardinus) na Península Ibérica registou 404 exemplares: 361 (327 em 2014) na comunidade autónoma andaluza e 43 animais distribuídos pelos povoamentos de Montes de Toledo e Sierra Morena Oriental e Ocidental, Matachel e Vale do Guadiana (Portugal). É o maior número de animais registado nos últimos 15 anos.

O principal aumento verifica-se na população da Sierra Morena, um dos principais núcleos de linces, que passa de 247 para 285 exemplares, refere a Agência Europa Press. Continuar a ler